Novidades

Como combater mosca-branca na sua lavoura?

A contaminação de moscas-brancas nas lavouras tem se tornado cada vez mais frequente.

Os danos causados por essa praga nem sempre são revertidos apenas fazendo o controle do seu nível populacional. É preciso ficar atento a essa praga, porque muitas vezes ela é menosprezada por acreditarem que é apenas um inseto comum.

Assim como todas as pragas presentes em plantações, é necessário realizar medidas preventivas e de controle para amenizar seus malefícios

Vamos te explicar melhor as características da mosca-branca, como identificá-la e o que você deve fazer para proteger sua lavoura dessa praga o máximo possível.

Vamos lá.

O que é a mosca-branca?

A mosca-branca, Bemisia tabaci (Hemiptera: Aleyrodidae), é um inseto comum na maioria das principais regiões agrícolas do mundo.

Já foram registradas mais de 1.550 espécies de 160 gêneros diferentes da família Aleyrodidade.

Mas a Bemisia tabaci virou foco de preocupação no mundo agrícola por causar danos à diversas culturas de grande importância econômica.

Dentre elas o feijão, algodão, cultura da soja e orelículas.

A mosca-branca é uma espécie que apresenta uma grande variedade genética, e a maioria dos pesquisadores acredita que haja também diferentes biótipos.

Além disso, são capazes de se adaptar a regiões com temperaturas climáticas elevadas e com umidade. A contaminação do plantio pela mosca-branca acontece de duas formas.

Diretamente, através da sucção da seiva, e também indiretamente, pois o inseto transmite o vírus fitopatogênicos.

Além disso, ela favorece a ‘’fumagina’’ que cresce nas plantas açucaradas, produto de excreção da mosca.

Os hospedeiros preferidos da mosca-branca são: algodão, brócolis, couve-flor, repolho, abobrinha, melão, chuchu, melancia, pepino, berinjela, fumo, pimentão, soja, uva, entre outros.

Como identificar e quais os sintomas da mosca-branca no plantio?

O inseto adulto costuma medir entre 1 e 2 milímetros, tem coloração amarelo-palha e possui duas asas.

Seus ovos têm formato de pêra e as moscas sempre botam eles na parte baixa das folhas. Cada fêmea põe até 300 ovos durante seu ciclo de vida.

Quando saem, as ninfas são capazes de se movimentar e se fixar na folha para realizar a sucção da seiva da planta até atingirem a idade adulta.

Quando a moca-branca, seja ninfa ou adulta, introduz o aparelho bucal no tecido da planta, ela libera uma espécie de toxina que pode causar alterações no desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da cultura, debilitando a produtividade.

Além disso, a excreção liberada pelo inseto, conhecido como ‘’honeydew’’ é o que estimula o crescimento de fungos, ocasionando a fumagina, responsável por prejudicar a fotossíntese da planta.

 Algumas espécies de vírus já foram encontrados em plantios e descritos como sendo transmitidos através da mosca-branca, dentre eles:

 

Como controlar a infestação de mosca-branca?

Agora que você já sabe o que é, quais os sintomas e como identificar a mosca-branca, vamos te apresentar algumas estratégias de controle da praga.

A causa de danos da mosca-branca nas plantas é direta. 

Por isso, muita gente considera o controle químico como primeira e, talvez, única solução. Mas não é bem assim.

Algumas outras estratégias de manejo podem ser vantajosas, principalmente para evitar problemas futuros, como resistência das pragas ao inseticida. 

 

1.Controle de cultura 

 

O controle cultural submete ao que o próprio nome diz, controlar a cultura plantada.

E pode ser realizado seguindo algumas regras bem simples:

 

2.Controle biológico

 

 

O controle biológico para erradicar a praga da mosca-branca pode ser feito de modo natural.

Assim, você pode ainda oferecer condições para que insetos não-maléficos possam permanecer no ambiente.

Por esse motivo, é recomendado o uso de inseticidas seletivos.

E existe uma vasta lista de opções de ‘’inseticidas naturais’’ da mosca-branca para auxiliar neste controle, incluindo a utilização de predadores.

Predadores

Hoje, contamos com mais de 150 espécies de artrópodes que você pode usar como predadores da mosca-branca. Alguns deles são:

 

Parasitoides

Outra opção que você pode utilizar como inimigo natural da mosca-branca.

Existem mais de 500 espécies e 23 gêneros de parasitoides de mosca-branca registradas.

Eles são representados por seis famílias da ordem Hymenoptera, sendo os principais gêneros o Encarsia e Eretmocerus

Entomopatógenos

Podem vir a ocorrer fungos entomopatógenos na sua plantação, o que é natural. 

Esses fungos estão relacionados às espécies de Isaria (Paecilomyces), Lecanicillium (Verticillium), Beauveria e Aschersonia.

A espécie Beauveria bassiana tem registrado, um produto que serve para controle de mosca-branca em todas as culturas, o Boveril WP PL63.

 

3.Controle biológico

 

O controle químico, porém, também  é muito utilizado e recomendado em alguns casos.

Esse tipo de controle deve ser feito de acordo com uma rotação de inseticidas que tenham modos de ação diferentes. 

O prolongamento de uso de alguns inseticidas, pode ocasionar uma resistência da praga ao produto, gerando ineficácia do controle.

Existem ativos registrados que são indicados para o controle da praga da mosca-branca, dentre eles:

 

Conclusão

Nesses artigos, demos dicas de como você pode ajudar a amenizar os danos dessa praga na sua área de produção.

Agora você já sabe o que é a mosca-branca, quais os sintomas e danos que ela pode causar no seu plantio e como controlá-las.

Lembre-se sempre dos prós e contras de cada maneira de manejar o controla. Se precisar, volte conferir nossas dicas.

E aí produtor rural? O que achou das nossas dicas para ajudar a controlar a praga da mosca-branca?